Herdeiros da Escravatura – Pedro Matos

Tipo
Exposicao Antiga

06 JUL – 13 SET 2017

Bafejados pelas condições adversas de fome que, na década de 40 do século XX, assolou de forma impiedosa Cabo Verde, os colonos portugueses encontraram na contratação de serviçais cabo-verdianos uma fonte inesgotável de recursos capaz de empreender esta pesada tarefa. Para os desafortunados cabo-verdianos, o contrato representava a esperança e a única oportunidade de fugirem à fome e morte que reinava nas suas terras.

Apesar de cientes do interesseiro aproveitamento da sua situação de desgraça, os cabo-verdianos abraçaram o contrato que lhes foi oferecido, envoltos numa mescla de sentimentos díspares, motivações variadas e sonhos de prosperidade nas terras férteis de São Tomé e Príncipe.

A dura realidade das imagens e as resignadas expressões dos últimos contratados revelam-nos a severa vida outrora vivida em total dedicação à terra que abraçaram como sua e que, mais de quarenta anos depois, afirmam preferir morrer a terem de ficar sem ela.

 

Pedro Matos

daniel casares román

 

Nasceu em Aveiro, Portugal, em 1970.

Na década de 90 realiza as suas primeiras viagens a Moçambique. África irá ser determinante na forma como passa a observar e a analisar o mundo. Em 2000, assume funções de diretor de comunicação e marketing num grupo empresarial angolano. Os dez anos que passou entre Portugal e Angola apenas serviram para intensificar ainda mais a paixão que sente pelo continente africano. Coordenou ainda o projeto editorial Executivo Angola, uma publicação especializada sobre a economia angolana. Atualmente, além de trabalhar em vários projetos empresariais ligados à comunicação, é ainda o responsável pela coordenação gráfica e editor fotográfico da revista cabo-verdiana Nós Genti.

A fotografia, além de ser uma ferramenta indispensável em todos os seus trabalhos, é também uma imensa paixão. Fotógrafo humanista e documental, é um apaixonado pela imensa diversidade cultural da humanidade.